setembro 05, 2010


Uma estrada o luar
Som de cachoeira, passos
Que vagam: crentes
De encontrar
Novo espaço, sem
Fronteiras

Novamente o ruído
Das rodas enferrujadas
Como um lamento
Seguem...

Paramos onde o coração
Sente acolhida, brindamos
Ao luar, violino entoa
Uma canção, dançamos
Nos alegramos
Assim é meu povo.

Felicidade vem com
o vento em nosso rosto
Aí sentimos o quanto
somos livres!

Aut. Madalena Cigana

Nenhum comentário:

Postar um comentário